Frames de registo de actividade paranormal do Fantasma de Canterville no MNAC

AUTOR: MNAC
TIPOLOGIA:
DATA: séc. XXI
N.º DE CATÁLOGO: #054
N.º DE INVENTÁRIO: MF.2021.027
PROVENIÊNCIA: Luís Sousa

Contextualização

O que se pode aqui observar é um negativo de uma fotografia que faz parte de um conjunto de negativos recentemente entregues ao Museu do Falso, e que comprovam uma história contada em 1887 por um conhecido escritor irlandês, Oscar Wilde.

Oscar Wilde fala-nos, num conto de 1887, do Fantasma de Canterville, um nobre inglês que tinha assassinado a sua esposa e que acaba emparedado nas paredes do seu castelo e deixado a morrer à fome pelo irmão da mesma.

Entretanto uma família americana adquire o castelo, e muda-se para lá. O fantasma do nobre inglês tenta fazer sentir a sua presença, usando expedientes como barulhos de correntes e manchas de sangue em tapetes, mas é completamente ignorado e desvalorizado pela família.

Acaba por se mudar para Lisboa, em particular para o Museu Nacional de Arte Contemporânea, onde é capturado por todos aqueles que optam pela câmara analógica ao passearem-se pelas salas do museu.

Esta incorporação, no acervo do Museu do Falso, teve como Parceiro Institucional

Peça Anterior
Peça Seguinte
Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google