Espeto utilizado para Assar Leitão à Moda de Fiais da Telha

AUTOR: Família de Felisberto “Leitão”
TIPOLOGIA: 
DATA: séc. XX
N.º DE CATÁLOGO: #052
N.º DE INVENTÁRIO: MF.2021.025
PROVENIÊNCIA: José Batista

Contextualização

O que agora (2021) se celebra como uma 7ª edição do Festival do Leitão é, na verdade, uma antiquíssima tradição que vê o seu papel e importância reconhecidos pela inclusão na lista do Inventário Nacional de Património Cultural Imaterial e de seguida como Património da Humanidade, em reunião extraordinária do Órgão máximo da UNESCO, em plenário e a ocorrer em Portugal, assim que haja novo Governo (garantida, esta aprovação, por votos de insuspeitos membros da UNESCO como Arábia Saudita, Emiratos Árabes Unidos, Indonésia e China, para lá de todos os países da União Europeia exceto a Espanha, por motivos que se prendem com uma preterida – pelos já mencionados – candidatura do Jamon Serrano).

Se para os portugueses tradicionalmente se fala de leitão na Bairrada, a verdade que se comprova é que o leitão da Bairrada provém de uma desunião familiar que levou a que o segredo da confeção do leitão dos Fiais, saísse pela calada e de comboio (no actualmente destruído apeadeiro dos Fiais: o único a ser destruído na re-conversão da Linha da Beira Alta), algures no século XX. De facto e para que se garanta ainda mais a história, contam os organizadores do Festival que a Mascote “Roncas”, é uma desomenagem ao Felismino (de nome) Torto (de alcunha), o salteador do segredo dos Fiais.

Sem segredos nem vergonhas, a população local, fez gravar e registar o “Memorial do Leitão gamado pelo Felismino Torto e vendido ao martelador de vinho da Bairrada que lhe ficou com o segredo”. Obra de cariz popular que o JL (Jornal de Letras, em crónica de Manuel Luís Goucha) afirma como a mais criteriosa afirmação comunitária do pós-pandemia, sem máscaras, em duplo CD ou em vinil para os colecionadores.

Nesta obra se transmite então que Felismino, terceiro filho de Felisberto, putativo octa-neto do criador da receita, por impedido de aceder a outras funções que não as da lavagem dos animais, decidiu por vingança oferecer os seus préstimos onde melhor os reconhecessem. Conhecedor de uma história provinda de Negrais – que por sua vez tinha origem em Almoçageme e nos sumptuosos banquetes de casamento – em que um local transportou para a sua terra uma receita e modo de assar o leitão no forno a lenha; assim decidiu Felismino e às arrecuas levar a sua receita para a Bairrada que era o limite do mundo que ele conhecia.

Lá chegado e pronto a aceitar pagamento e alojamento vitalício, bem como avental de cozinheiro de estalo, pregaram-lhe partida e sova – “estalo”, que significa “muito bom” era uma expressão do Sul e confundiram-se, nas cartas de conluio, os significados. Felismino, de estalo em estalo, lá ficou lavador de leitões pelo resto da vida, já que não podia regressar a casa tendo dado o ouro coirato (assim conhecido o Leitão Assado dos Fiais) ao bandido. [Se, ao menos, lhe tivessem oferecido uns feijões, ainda podia inventar qualquer coisa…]

Da Bairrada não se fala mais na obra supracitada, no entanto não integrou a obra uma informação de relevo porque, e estando de férias um dos mais antigos residentes dos Fiais – correspondente da Real Academia Sueca do Leitão – ele trouxe à baila a indicação manuscrita, na Chancelaria Real, de que o Infante D. Henrique, quando Duque de Viseu, aceitou o ducado mais pelo Leitão Assado dos Fiais que pelo Pavia, o que coloca a mais antiga referência ao apreciado produto gastronómico entre 1394-1460.

Por outro lado, há ainda quem afirme que a receite foi de facto, e ainda mais para lá do que haja memória, oferecida aos Fialenses por uma bela e insuspeita aparição noturna – que de quando em vez se fazia notar na antiga estrada romana que ligava o Calvário (Oliveirinha) a Oliveira do Conde. A oferta residiria na compaixão dos naturais da terra e nos préstimos que terão disponibilizado à mesma.

Esta incorporação, no acervo do Museu do Falso, teve como Parceiro Institucional

Peça Anterior
Peça Seguinte
Privacy Settings
We use cookies to enhance your experience while using our website. If you are using our Services via a browser you can restrict, block or remove cookies through your web browser settings. We also use content and scripts from third parties that may use tracking technologies. You can selectively provide your consent below to allow such third party embeds. For complete information about the cookies we use, data we collect and how we process them, please check our Privacy Policy
Youtube
Consent to display content from Youtube
Vimeo
Consent to display content from Vimeo
Google Maps
Consent to display content from Google